A Edimburgo onde nasceram Sherlock Holmes e Harry Potter.

Não na história, mas na vida real. Quer prova maior de que a capital escocesa é simplesmente a cidade mais inspiradora de toda a Europa? E te digo, os escritores que são principal motivo de orgulho para eles nem são Conan Doyle, nem tampouco J. K. Rowlling (até porque ela nem é escocesa nem nada). Para eles, importantes mesmo foram Robert Burns, Robert Louis Stevenson e (Sir) Walter Scott. Esse último é o mais idolatrado, tem até um monumento gigantesco que parece um foguete com a estátua dele sentado lá dentro bem no meio da Princes Street. Deus no céu, Scott na terra, quem já esteve em Edimburgo sabe como é. E eu nunca nem tinha ouvido falar desses caras antes de ir à Escócia.

Scott Monument

Scott Monument

Mas vamos ao que interessa de verdade: aos dois personagens tão característicos que conquistaram o mundo inteiro, fazendo o maior sucesso principalmente através dos livros, mas também por meio de filmes que já foram/serão regravados muitas vezes ao longo das gerações, porque as histórias são realmente muito contagiantes para ficarem velhas (alguma dúvida de que daqui a alguns anos Harry Potter vai ganhar remake?).

Foi na Universidade de Edimburgo que o estudante de medicina Arthur Conan Doyle conheceu aquele que seria a inspiração para a criação do personagem Sherlock Holmes. Ela veio através de um professor que gostava de ensinar aos alunos o método dedutivo que tanto aparece nas estórias. Diz-se que um de seus hobbies era olhar para uma pessoa estranha e, por dedução, tentar desvendar sua vida, qual era o seu emprego, de onde era, onde morava, etc. Soa familiar, não?

Doyle nasceu em Edimburgo, na casa de número 11, na Picardy Place, que fica na parte da new town (fui lá procurar onde era gente, haha) e depois da graduação se mandou da cidade e foi morar fora. Foi fora de Edimburgo que ele começou a escrever sobre Holmes e Watson, que fizeram o maior sucesso rapidamente entre os ingleses, e depois explodiram no mundo todo. Algum tempo depois, Doyle ficou de saco cheio de escrever as histórias do detetive e decidiu matá-lo nas cataratas de Reichenbach, na Suíça. Lágrimas.

Estátua de Holmes, na Picardy Place.

Estátua de Holmes na Picardy Place.

Depois ele resolveu “ressucitar” Holmes, por conta da pressão popular e escreveu mais algumas estórias. Bem perto de onde ficava a casa de Doyle, antes de ser demolida para a construção de um prédio quadrado, feio e sem decoração, existe um Pub chamado “The Conan Doyle”.

The Conan Doyle.

The Conan Doyle.

Outro Pub bem famoso na cidade é o The Elephant House, que se gaba de ter sido um dos locais escolhidos por J. K. Rowling para escrever as estórias de Harry Potter. A escritora chegou em Edimburgo desiludida da vida, depois de um divórcio, sem emprego e com uma filha para criar. A situação estava tão feia que ela vivia graças à assistência do governo aos pobres e ~dizem~ chegou até a tentar suicídio. Como ela não tinha dinheiro nem mesmo pra alugar uma casa com aquecedor, durante o dia ela ia para os pubs e ficava horas escrevendo por lá.

The Elephant House.

The Elephant House.

Bem pertinho desse pub fica o Greyfriars Kirkyard, que é um cemitério bem lindinho que fica na old town. Nunca me imaginei passeando em cemitérios, mas parece que é algo que o pessoal gosta de fazer por aqui (cemitério = parque). Cemitérios também são lugares inspiradores para quem está escrevendo um livro e precisa de nomes legais para dar aos seus personagens, nomes diferentes, nos quais eles nunca tinham pensado, e que são nomes plausíveis, digamos, já que alguém que já viveu e andou sobre esse planeta já foi chamado daquela forma.

Pois bem, passeando pelo Greyfriars Kirkyard é possível encontrar vários dos nomes e sobrenomes dos personagens do livro ( Mcgonagall é o único que eu me lembro, mas tem vários outros, é só procurar). Como não sou exatamente fã, nem me dei ao trabalho de sair catando, já que eu não ia reconhecer nenhum nome mesmo… Ah, mas, pera, tem esse aqui, acho que esse aqui todo mundo conhece né:

DSC_0055

“Vocêsabequem”

O cemitério tem uma entrada pela George Heriot’s School que, novamente, ~dizem~ ter sido a grande inspiração na criação de Hogwarts. A explicação é bem convincente já que, em uma época em que somente quem tinha boas condições financeiras podia estudar, essa escola magnífica e linda foi criada especialmente para oferecer educação gratuita para crianças órfãs e pobres.

george-heriot-s-school

George Heriot’s School (foto da internet).

A vista das janelas do Elephant House, que fica meio que no alto, dá para o cemitério e para a escola, ou seja.

Com certeza devem ter muito mais coisas em Edimburgo que inspiraram os dois escritores na criação de suas estórias, porque a cidade toda é simplesmente fascinante.

E pra quem se interessar em conhecer mais sobre os famosos escritores de Edimburgo, vale a pena visitar o museu dos escritores, o Writers’ Museum, do qual falarei um pouco mais em outro post.

Beijos!

Lenita