Praia do Forte com Amigas

No verão passado, eu e as amigas mais enroladas da face da terra finalmente colocamos em prática nossos planos de passarmos um fim de semana em alguma praia do Litoral Norte. Enchemos o carro de biscoito, salgadinho e doces, e tocamos para Praia do Forte.

53735_781347561952898_1768353786487340329_o

Reunidas em PF ❤

Foram um pouco menos de duas horas de confusão, zuada e um pouquinho de engarrafamento, de Salvador à PF (uns 80Km de distância), onde tínhamos reservado uma noite em um hostel próximo à vila e à praia, assim daria tempo de aproveitar o fim de semana todo por lá. Chegamos ainda de manhã, guardamos tudo no quarto e seguimos para a praia.

Com tanta praia boa em Salvador, Praia do Forte não é exatamente um lugar onde eu vá pela praia em si. Lá é bonito, agradável, etc, mas eu vou mais pelo passeio mesmo. Ficamos pela Praia do Porto, que fica bem ao lado da Igreja de São Francisco. A praia tem umas barracas de comida em cima, mas o pessoal serve lá na areia também, e é boa para tomar banho (água quentinha, como de costume no litoral baiano) e pegar um sol, apesar de não ser muito espaçosa. Depois da praia, tomamos banho nos chuveirões do calçadão e seguimos para o Projeto Tamar.

Praia do Porto

Praia do Porto

Igrejinha

Igrejinha

O Projeto faz um trabalho de preservação das espécies de tartaruga marinha e também cuida da inclusão social e educação ambiental na região. A visita ao Tamar se tornou ponto obrigatório da Praia do Forte, por ser um passeio bem divertido para todas as idades.

Projeto Tamar, Praia do Forte.

Projeto Tamar, Praia do Forte.

Tartaruga Marinha

Tartaruga Marinha

Aquário das Raias

Aquário das Raias

Ju e Nanda, fazendo graça.

Ju e Nanda

Carol e o tubarão tan-dan-tan-dan-tan-dan.

 tan-dan-tan-dan-tan-dan…

O ingresso custa 20 reais, mas o nosso hostel dava uma pulseirinha de gratuidade para visitar quantas vezes a gente quisesse. Não sei se é uma prática de outros hotéis e pousadas, mas pra quem está de visita marcada, não custa perguntar.

Na saída do projeto, ainda fomos surpreendidas por uma batucada com as crianças da comunidade, parte de um projeto social.

Batucada no fim de tarde.

Batucada no fim de tarde.

Pausa para a pose.

Pausa para a pose.

Á noite, saímos para comer alguma coisa na vila, que tem muuuitas opções de restaurantes e barzinhos bem legais, e fica bem movimentado, cheio de turistas. Por lá também dá pra comprar coisinhas hippie e artigos de decoração exóticos, tipo pedras e cristais.

Depois fomos ver a banda Rock Forever, cover dos Beatles (eles são ótimos!), que fizeram um show dentro do Projeto Tamar, bem à beira da praia. Não deu muita gente, mas foi bem legal.

No segundo dia, tomamos um café da manhã reforçado no hostel, e pegamos a estrada rumo à Reserva Sapiranga, que fica a poucos minutos da Praia do Forte. A reserva é legal para fazer ecoturismo. Tem canoagem, tiroleza, passeio de bike, etc. Fizemos trilha e nos perdemos, obviamente. Brigamos, fomos picadas por formigas gigantescas, depois encontramos nosso caminho e fomos relaxar na lagoa.

Eba, natureza!

Eba, natureza!

Desbravadoras

Desbravadoras

1146814_781376241950030_8522167061849423087_o

Praia do Forte e a Reserva Sapiranga ficam no município de Mata de São João, onde também está localizado o Castelo Garcia D’Ávila. Depois da Reserva, ainda teríamos que dar uma passada em Arembepe para comer pudim na casa da avó de uma das meninas, então não deu para passar no castelo, infelizmente 😦

No fim das contas, foi um fim de semana muito especial e divertido. Recomendo Praia do Forte para quem estiver de visita à Salvador e tiver um ou dois dias sobrando.

Ah, recomendo também o Albergue Praia do Forte, que foi onde nos hospedamos. Boa localização, tudo muito limpinho e confortável, além da pulseira do Tamar. Ficaria lá novamente, certeza.

Anúncios