Onde estou morando e o que faço por aqui, alem de passar frio.

Tudo comecou três meses atrás, quando eu saí do calorzão de Salvador e vim parar nessa pequena cidade onde hoje resido. Logo quando cheguei, Coventry estava passando por um período de frio não usual, segundo me contou o gerente do banco onde abri conta, e estava absolutamente coberta de neve. Eu não conseguia dar dois passos na rua sem quase escorregar. “Mas não se preocupe”, disse ele, “No verão a gente ás vezes chega a até 20 graus!!”. UAU.

O inverno aqui é violento. Às quatro da tarde o comércio ja começa a fechar e já está quase tudo escuro. Sete da noite as ruas ficam completamente desertas e às dez da manhã ainda tá tudo fechado. Não é que o povo daqui seja preguicoso, eu entendo eles. Quando eu acordava às sete da manhã, aquecedor desligado, e tinha que levantar da minha cama quentinha e pular debaixo do chuveiro, já pensando no frio que eu ia enfrentar na minha longa caminhada de 30 minutos até a faculdade, dava vontade chorar. Dava vontade de pegar um avião e voltar pro Brasil.

Com o passar do tempo eu fui me acostumando e pegando o jeito da coisa (e a temperatura foi subindo tambem). Hoje em dia eu me sinto em casa. As vezes eu ate almoco feijão.

A casa onde eu moro fica um pouco afastada do centro e meio longe da universidade. A ideia inicial era morarmos na residência universitária, onde teríamos um quartinho ovo sem banheiro e, na cozinha compartilhada, apenas geladeira e microondas. Teríamos direito a dez refeições diárias no restaurante da universidade, logo, não precisaríamos cozinhar. Mas estaríamos limitados a comer o que os ingleses chamam de comida. E que nao é comida. É uma gororoba qualquer apimentada, acompanhada de batatas fritas.

Graças a Deus, esse planejamento inicial não deu certo, então viemos morar em residências que não pertencem à universidade, mas são alugadas por ela e que, no caso da minha, se divide em flats. Cada flat tem 4 quartos, cada um com seu banheiro individual, e a cozinha é compartilhada. Minha casa tem 6 flats. Em dois flats moram apenas brasileiros e nos outros quatro moram nigerianos simpáticos, porem muito barulhentos e que fritam peixe todos os dias, deixando a area comum com um cheiro peculiar. Aqui em Coventry tem muitos nigerianos, muitos mesmo. E chineses (leia-se: chineses, coreanos, japoneses, tailandeses…Nunca sei identificar). Ah, e, claro, indianos.

Meu Quarto

Cozinha

Cozinha

Como vocês podem ver, a cozinha tem tudo (inclusive máquina de lavar), então dá pra cozinhar tranquilamente. Obviamente, a cozinha tem tudo, mas não veio com tudo. Todos os utensílios, panelas, produtos, etc, nós mesmos que compramos. Eu cozinho meu próprio almoco todo santo dia, o que é bom porque eu economizo dinheiro, me alimento melhor e ainda me torno uma menina prendada 😉 . E não infarto do coração comendo 1kg de pimenta por semana. No mercado aqui eles já vendem as carnes cortadinhas e em porções pequenas e as saladas já vem lavadas e prontas para comer. Cozinhar aqui não é problema.

Esqueci de explicar antes o porquê de eu estar aqui no Reino Unido. Eu consegui uma bolsa no programa Ciência sem Fronteiras, que é uma iniciativa do governo que tem como objetivo a internacionalização da ciência e da tecnologia, pra tornar o Brasil mais competitivo no âmbito internacional. Basicamente, eles estão enviando vários estudantes de graduação e pós-graduação para universidades no exterior. É o que eles chamam de “graduação sanduíche”. A gente interrompe o curso no Brasil, vem pra cá, faz uma parte do curso aqui e volta pro Brasil pra terminar. A gente assina contrato se comprometendo a voltar e continuar o curso, etc. Não, não tem a possibilidade de eu me casar, comprar uma casa, um carro e ficar morando aqui pra sempre.

Na universidade, estou cursando disciplinas do mestrado em engenharia elétrica. Isso porque o esquema da graduação aqui é diferente. Eles ofereceram pra gente a possibilidade de entrar no Year1 da graduação, onde a gente pegaria matérias muito básicas e a ideia da “graduação sanduíche” perderia todo o sentido. Por isso entrei no mestrado, onde há maior possibilidade de eu conseguir eliminar matérias quando voltar para o Brasil. Estou estudando na universidade de Coventry (Coventry University), que eles carinhosamente chamam de CU. Eles vendem casacos “I ♥ CU”.

A universidade é bem legal. O prédio de engenharia foi recentemente construído, em formato de colmeia, então tudo é muito novinho e conservado.

Miniatura da Colmeia

Colmeia

A cidade aqui é meio parada, mas também não é interiorzinho como no Brasil. Aqui as lojas estão concentradas no City Centre, que é uma área de livre circulação de pedestres, nada de carros, onde tem muitas lojas e se econtra praticamente tudo… o que há de mais esquisito na terra. Depois eu faço uma postagem sobre a cidade, com fotos e histórias interessantes.

Agora que estamos no final de Abril, a temperatura já subiu bastante. Já dá pra sair na rua com apenas uma camada de roupa tranquilamente. Ás vezes eu fico até com calor dentro de casa (mas aí eu lembro de desligar o aquecedor e o calor passa). Os dias também estão muito mais longos. O sol só começa a se pôr lá pras oito da noite, e eu imagino que no verão fique ainda melhor.

Então é isso, agora vocês já sabem o que tá rolando por aqui. Com o tempo vou contando mais coisas.

Beijos!

Lenita

Anúncios